Subscribe

Rebalanceamento da sua carteira: Como comprar na baixa e vender na alta

Uma carteira de ativos pré-definida (chamada em inglês de Asset allocation) é aquela onde você define previamente, considerando sua tolerância ao risco, o percentual do montante a investir em cada classe de ativo, seja renda fixa, ações, imobiliário, dividendos, ouro, etc.
O rebalanceamento é o processo chave que visa o realinhamento das porcentagens de uma carteira de ativos. O rebalanceamento envolve a compra ou a venda periódica de ativos em uma carteira para manter o nível desejado original de alocação em cada classe de ativo.

Por exemplo, suponhamos que você decidiu que uma alocação de ativos ideal para seu perfil de risco é de 20% de ações e de 80% de tesouro direto.
Após investir, se as ações tiveram bom desempenho durante um período (geralmente trimestre), a porcentagem de investimentos em ações da sua carteira pode passar a ser 35% agora visto que esta parte da carteira se valorizou mais. O investidor deve então decidir vender algumas ações e comprar títulos do tesouro para voltar a carteira para a alocação original ou alvo de 20/80.

Este é um método eficaz de comprar na baixa e vender na alta

Muitas vezes, essas etapas são tomadas para garantir que a quantidade de risco envolvido está no nível desejado do investidor. Como o desempenho das ações pode variar de forma mais dramática do que a renda fixa, a porcentagem de ativos associados às ações irá mudar com as condições do mercado. Se você manter 35% em ações agora e o mercado cair forte você vai perder muito mais do que se tivesse apenas 20%
Juntamente com a variável de desempenho, os investidores podem ajustar o risco global dentro de suas carteiras para atender às necessidades financeiras em constante mudança.
Da mesma forma, se a bolsa cair muito, os 20% cairão para 15% ou menos e RF será >80%. Passando dinheiro da renda fixa para ações pode fazer com que você compre ações na baixa e lucre com o eventual retorno do mercado.


Rebalanceamento de contas de aposentadoria
Uma das áreas mais comuns que os investidores buscam reequilibrar são as alocações dentro de suas contas de aposentadoria. O desempenho de ativos afeta o valor global, e muitos investidores preferem investir mais agressivamente em idades mais jovens e de forma mais conservadora à medida que se aproximam da idade de aposentadoria. A carteira idealmente deverá ser mais conservadora uma vez que o investidor se prepara para extrair os fundos para fornecer renda para a aposentadoria.

Freqüência de Rebalanceamento
Embora não haja um cronograma exigido para rebalancear um portfólio, a maioria das recomendações são de examinar as alocações pelo menos uma vez por ano. É possível ficar sem rebalancear um portfólio, mas isso geralmente reduz seu retorno e mexeria com o risco. O rebalanceamento dá aos investidores a oportunidade de vender ativos na alta e comprar outros na baixa, tirando de investimentos de alto desempenho e risco e reinvesti-los em outros que ainda não experimentaram um crescimento tão notável ou que sejam mais seguros.

Dica IA: Algumas simulações indicam uma leve melhora de desempenho das carteiras rebalanceadas ao final de cada trimestre.
Adaptado de Investopedia

2 comentários:

  1. E qual seria a melhor maneira de realocar uma carteira se o objetivo mudar? Suponha que eu queira sair de 80/20 RF/RV para uma maior exposição em 70/30. Devo transferir recursos de uma só vez? ou devo carregar o rebalanceamento por vários meses?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não há regra aqui Rafael. Depende muito de quais investimentos você vai executar. Se for aumentar em RV, talvés se comprar em várias vezes pagará taxas a cada vez. Caso queira fazer um preço médio e comprar em vários momentos...vai depender muito do seu perfil, dos ativos a comprar etc.
      Particularmente a maneira que eu faço e prefiro é de não vender nada mas sim rebalancear com dinheiro "novo". Comprando mais RV mas não vendendo RF até o novo ratio ficar como você quer.

      Excluir