Subscribe

Um milhão não é mais suficiente?

Como assim? 1 milhão não é mais suficiente para se aposentar?

A capa online do jornal New York Post deste final de semana trouxe uma reportagem interessante cujo título é "Americanos precisarão de $1.5 M para se aposentar confortavelmente".

O artigo diz que o tão falado 1 milhão de dólares que costumava ser mais que suficiente para se aposentar confortavelmente até pouco tempo atrás já não é mais suficiente. Planejadores financeiros lá agora estimam que este número é de um milhão e meio de dólares.

"US $ 1 milhão não é tão duradouro como costumava ser. Está realmente muito ruim ai fora". 

A premissa básica desta opinião é que as políticas monetária e de redução de impostos estão criando uma super valorização das ações que não são baseadas em fundamentos e é consenso que o rendimento médio do mercado acionário nos próximos anos nos EUA será abaixo da média histórica devido a isto além de poder ocorrer uma forte correção a qualquer momento . Além disso, as taxas de juros historicamente baixas requerem mais capital na aposentadoria para gerar a mesma quantidade de renda passiva que a geração passada estava acostumada. 

Trazendo para o Brasil

Traçando um paralelo com o Brasil, percebemos nitidamente que o grande sonho de ter 1 milhão de reais na conta, apesar de ainda ser o objetivo de muita gente, pode não ser o bastante para garantir renda passiva suficiente para cobrir todos os seus gastos - mas o motivo é outro - a inflação.

Um milhão de reais na conta hoje continua sendo uma ótima quantia e hoje lhe permitiriam uma renda passiva mensal conservadora de R$ 3.333 (TSR 4%). Pela TSR, esta quantia é corrigida todo ano pela inflação assim como sua retirada, protengendo capital e saques contra perda do poder de compra.

Agora vamos supor que você ainda não tenha 1 milhão hoje e está planejando ter ele apenas em 2028, dez anos no futuro. Nosso objetivo ainda seja o famigerado 1 milhão de reais. A renda passiva possível continua sendo R$ 3.333 mas o que a inflação teria feito com o poder de compra deste valor em 10 anos?

Vamos supor uma inflação no centro da meta em 4% aa. Em 2028, para comprar o que você compra hoje com R$ 3.333 seriam precisos R$ 4.933 reais. 
A grosso modo, a inflação, mesmo no centro da meta, vai lhe tirar R$ 1.600* reais de poder de compra em 10 anos, ou quase a metade do valor presente (seria o mesmo que você ter hoje R$ 1.700 reais e não R$ 3.333).

Se considerarmos que queremos manter este poder de compra proporcionado por 1 milhão de reais de capital hoje, devemos ver qual montante lhe dará uma renda passiva de R$ 4.933. Usando a TSR 4% chegamos a  R$ 1.480.096,26 e, como nos EUA, muito próximo a 1.5M. Este é o valor a ser utilizado para quem está almejando atingir o seu "um milhão" em 10 anos. 
Quem possui este valor hoje, basta investir bem de modo a não perder poder de compra, sempre superando a inflação em no mínimo 4%aa. 

* Conforme observado por alguns leitores mais críticos, não poderíamos misturar valores presente com valores futuro .Como neste caso é uma estimativa apenas e ela ilustra bem a perda equivalente do poder de compra e ajuda a refletir, vamos manter esta comparação com esta observação.

Conclusão

Cada um sofre com os seus problemas. Isto também é verdade nas finanças. Enquanto nos EUA a inflação é muito baixa, na casa de 1-2%aa, a necessidade de guardar mais dinheiro para proporcionar a mesma renda passiva se deve a baixa taxa de juros na renda fixa e a expectativa de retorno futuro do mercado acionário ser menor nos próximos anos, no Brasil, a inflação é o grande vilão. Mesmo dentro da meta ela pode corroer metade do poder de compra em apenas 10 anos.
Instrumentos que proporcionem retorno real, ou seja, acima da inflação, são essenciais para garantir a manutenção do poder de compra. Além disso, o mercado acionário brasileiro, apesar de ter uma alta correlação com o mercado americano, encontra-se em uma fase de retomada do crescimento em que é possível conseguir rendimentos superiores ao da média da década e, portanto, torna-se um belo instrumento de alavancagem dos rendimentos, mas isso só se você investidor souber o que está fazendo e entender os riscos inerentes à renda variável.




40 comentários:

  1. Muito bom o post!!!! Estou longe da IF. Para mim, seria acima de 2,5 milhoes nos valores atuais. Claro que não deixo de viver, mas todo mês busco aportar no minimo 50 a 60% do meu salário. Vou acompanhar seu blog!! Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vivendo e aportando tudo isso está no caminho certo. 2.5M tbm é minha meta mas nem sei se preciso tanto. Sou bem flexível e frugal então acho que de boa. No pior dos casos basta vender coco na praia. Abcs

      Excluir
  2. Vi que está melhorando tecnicamente, parabéns. Mas essa frase não faz sentido:

    A inflação, mesmo no centro da meta, vai lhe tirar R$ 1.600 reais de poder de compra em 10 anos, ou quase a metade do valor presente (seria o mesmo que você ter hoje R$ 1.700 reais e não R$ 3.333).

    A comparação acima é inválida pq compara um valor futuro com um valor presente. Não dá para subtrair diretamente "dinheiros" de diferentes épocas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seja bem vindo de volta amigo crítico. Críticas construtivas são bem vindas. Realmente se estivessemos fazendo um cálculo exato não poderiamos fazer esta conta, mas a título de ilustração vamos manter. (Adicionamos uma observação para alertar os leitores)

      Excluir
  3. Puxa, logo os 2 milhos que penso serem suficientes não serão mais devido ao dragão...

    Difícil hein AA40! Não sei mais o que fazer rsrs

    Belo post! Abcs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Calma II. Serão sim pois sabemos como nos proteger da inflação e obter rendimento real além de aportar e aumentar os aportes todo ano. Nós estamos no caminho sim. Quem não considera os efeitos da inflação é que pode estar em perigo. Foco e vamos em frente. Abcs

      Excluir
  4. É extremamente salutar fazer essa reflexão, pois muitos bitolam tanto no tal "milhão" e esquecem da inflação. Particularmente, minha meta de IF é R$ 3 milhões (valores de hoje), ma se colocar a inflação ai, certamente vai ser um valor bem mais alto.

    Ninguém disse que seria fácil rsrs

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é mole não senhor ministro. O que me intriga realmente é como o Brasil é caro para se viver. 3 milhões de reais são 1 milhão de dolares praticamente. É muita grana e daria para viver nos EUA, um país de primeiro mundo com este valor. O custo Brasil realmente é uma m. O jeito é planejar viver em países mais baratos como nosso post de arbitragem geográfica falou!

      Excluir
  5. Não entendi uma coisa: Se a taxa segura de retirada é R$ 3.333,00, o valor principal não seria preservado e corrigido pela inflação?

    Dependendo da estratégia e custo de vida de cada um, 1 milhão dá sim pra parar de trabalhar. Com 1kk em fii's dá pra fazer um carteira diversificada rendendo de 7 a 8% ao ano. Uma renda mensal acima de 6k mês. Se a pessoa tiver imóvel quitado e levar uma vida tranquila dá pra viver com 4k e ainda fazer um poupança.
    Essa quantia não dá pra viver viajando, trocar de carro, ir pra balada todo fds ou sustentar família.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro Anon. Vai sim mas se você tiver um milhão hoje.
      Quem está pensando em juntar um milhão daqui a 10 anos e juntando para isto, aí é que está o problema, pois os R$ 3.333 de hoje serão equivalentes ao poder de compra de quase 5 mil reais em 10 anos.
      Ter 1 milhão hoje é muito diferente de ter 1 milhão em 2028 e precisa-se pensar nisso ao planejar.
      Concordo plenamente com vc no comentário quanto aos FIIs e custo de vida.

      Excluir
  6. Olá AA40! Bela provocação no post!

    Mas a resposta à pergunta sempre passará pelo tripé "tempo de sobrevida x necessidade de fluxo mensal x retorno do investimento".

    Se alguém me questionar sobre isso, tem que sentar no colinho e responder direitinho essas perguntas rsrs

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. heheh seus comentários são um enigna sempre. Este post é mais um alerta aos que estão começando já que é preciso levar em consideração o fator tempoxinflacao já que o valor das depesas deve ser estimado em valor futuro e não em valor presente para então sim verificar o tamanho do bolo necessário. No caso o tripé que mencionaste envolve exatamente isto de maneira genérica para não-investidores.

      Excluir
  7. De fato, o efeito da inflação torna o target da IF variável, por isso imaginar um valor X como objetivo é muito arriscado. Penso que o melhor é definir X% (4... 5... 6 ou 7% vai depender do potencial de ganhos da sua carteira) de renda e a diferença tem que amortizar os efeitos da inflação.
    Lembro claramente, quando era criança, quando o litro da gasolina chegou a 1 real e meu pai furioso achando caríssimo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeita analogia Anon.
      Ao contrario de muitos, também sou favorável a usar uma porcentagem do rendimento. A TSR neste caso. Conservadores usam 4%, arrojados usam de 4.5% até 6%. Mais que isto fica bem arriscado na minha opiniao

      Excluir
  8. O estudo trinity e outros a respeito de TSR foram construídos a partir da premissa de que o valor inicial será corrigido pela inflação ao longo dos anos.
    Inflação é ruim e aumenta o risco de erros ou mesmo de exaurimento do portfólio, mas o seu texto não está em conformidade com os estudos de TSR.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostaria que apontesse onde não está em conformidade? Repito novamente que isto foi elaborado pensando em quem ainda não tem 1 milhão. Se vc já tme 1 milhào a TSR sim te protege, se não tiver não vai adiantar nada. Não sei como deixar mais claro que isto!!!!

      Excluir
  9. sei que não pode confiar 100% mais a aposentadoria do inss pode da uma ajuda no final mesmo se parar de trabalhar acredito que valha a pena continuar pagando o carne ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode ser uma boa sim Soldado. Isso se as novas regras não tornarem as coisas bem mais difíceis para alcançá-la.

      Excluir
    2. Eu como autônomo parei completamente depois q vi a dificuldade q seria conseguir receber o teto. Sem contar q tenho planos de aponsentar cedo quando alcançar a minha IF. Acho q só deve contribuir com INSS quem tem carteira assinada, mesmo pq não tem como escapar. Mas quem puder fuja desse “investimento”, acho q não tem lugar pior p colocar o seu dinheiro.

      Excluir
  10. Pois é, já faz tempo q 1KK não garante IF nem de cara solteiro. Por isso decidi atacar dos dois lados, juntar mais trabalhando em algo q me paga bem porém odeio e no momento de viver a IF me mudar para um país com um custo de vida menor q o Brasil, só assim p concretizar meus planos. Caso tivesse optado por continuar a trabalhar no Brasil e viver por lá depois da IF a coisa complicaria. Como já foi dito, quanto menos vc for flexível na vida mais terá q trabalhar...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade. Qual país escolheste para a IF? Qual seu valor alvo?

      Excluir
  11. R$ 1kk é muito pouco pra se considerar numa IF, especialmente pra quem tem menos de 50 anos.

    Eu só teria coragem de largar minha ocupação com um patrimônio de pelo menos uns R$ 5 milhoes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho q o número mágico para o Brasil ainda seja 1KK de DÓLARES, ou seja 3.3kk de reais. Com isso daria um TSR de 11k por mês. Dá p viver sem grandes extravagâncias.

      Excluir
    2. AA40, sou novo (<30) e tenho familiares que dependem da minha ajuda, dois fatores que puxam a TSR pra baixo.

      Ademais, esse valor corrobora o sugerido no post (US$ 1,5kk =~ R$ 4,9KK).

      Excluir
    3. Entendi. Se com 1.5M dá pra viver muito bem nos EUA, não entendo por que no Brasil precisamos deste tanto todo. Deveria ser muito mais barato viver aqui onde a infraestrutura é muito básica e um país essencialmente agricola o gasto com alimentação deveria ser muito baixo. Se tivesse 1.5M mudaria para o Caribe ou Europa se conseguisse visto.

      Excluir
  12. Agora vc tocou em um ponto importante, o grande problema do país. Não só pagamos caro por tudo como também pagamos duas vezes pela mesma coisa. Não basta pagar impostos como nos EUA, temos q pagar por seguros contra a criminalidade q a polícia não consegue conter, pagar condomínio pq morar em imóvel “na rua” é perigoso, pagar por escola particular pq a do governo é um lixo, pagar pedágios para a concessionárias pq as estradas federais estão caindo aos pedaços, etc.... por isso eu acho q é muito mais fácil ser IF lá fora dq aqui.

    ResponderExcluir
  13. Toda vez que eu leio TSR eu fico me coçando kkkkk. Não pretendo morrer e deixar tudo que juntei corrigido pela inflação comi herança então, vou gastando parte deste montante assim que for pra reserva.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Temos que lembrar que o conceito de TSR não é preservar o principal e sim evitar que o patrimonio acabe antes que a pessoa morra.

      Excluir
  14. Nao se coce BPM pois eu também nao pretendo deixar tudo de herança nao. A TSR é só nosso guia principal e a partir daí podemos flexibilizar baseados no nosso estilo de vida , investimentos e desejos futuros. Pretendo utilziar a TSR no incio, uma vez que meu portifolio for aumentando, analisarei a possivel TSR sustentavel todo ano.

    ResponderExcluir
  15. Tenho 47 anos já cheguei nos 6 milhões. Com o país do jeito que está, nem este valor me tranquiliza. Vou continuar aumentando este valor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai vc desanima a todos nós hein. Quando o Brasil esteve bem ? Acho que está perdendo tempo trabalhando ao invés de estar curtindo a vida que é curta e uma só, mas...vc quem sabe.

      Excluir
    2. Sinceramente, você precisa ter um motivo muito forte pra ter esse valor e ainda estar no Brasil.

      Excluir
    3. Oi? BPM, a pergunta não deveria ser, motivo para ter todo este valor e ainda estar trabalhando? Estar no Brasil a meu ver não tem nada a ver com isto. Ele poderia estar em Porto de Galinhas, Gramado, Jurere Internacional, Trancoso, enfim, tantos lugares bacanas NO Brasil

      Excluir
    4. Depense. Após a aposentadoria muitos continuam trabalhando mas sem o compromisso, fazem isso apenas para ter uma atividade e pode ser qualquer coisa que não te deixe preso. Nem todos vão pescar de segunda a segunda.

      Já no caso de ter um patrimônio desses e deixar ele todo no Brasil com todas as instabilidades que temos eu acho loucura.

      Claro que ele pode parar de trabalhar e viver em qualquer lugar com esse valor mas deixar correndo risco no Brasil é o mais preocupante.

      Excluir
    5. Entendi. Vc se refere ao dinheiro e não a pessoa. Concordo que deveria ter parte em moeda forte e tal...mas ele não especificou. Fica o convite para um estudo de caso Anon. abcs

      Excluir
  16. 6kk e continua trabalhando? Será que é o Viver de Renda postando como anon? kkk

    ResponderExcluir
  17. Não sou este Viver de Renda não! rs Sou novo no site e estou abrindo bem a cabeça. Realmente, se continuarmos a trabalhar, não aproveitamos o que acumulamos. Sobre sair do Brasil, pensei várias vezes, simplesmente por ter dois filhos pequenos e só, pois amo o Brasil, mas está bem difícil por aqui, sobretudo violência. Me prendo por ter empresa e minha família que depende de mim. Mas sobre o assunto do post, graças a vcs estou começando a rever valores....tirar o pé do acelerador. Pois para dinheiro, não há fim, nunca a pessoa está satisfeita!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal que podemos contribuir para vc repensar isso tudo. É preciso aproveitar a vida que é uma só e passa rapido demais.abcs e bem vindo

      Excluir

Mensagens ofensivas e críticas infundadas não serão aprovadas por ordens da minha terapeuta. As mensagens aqui postadas podem não representar a opinião do blog AA40. Obrigado