Subscribe

"Keeping up with the Joneses". Isto pode destruir suas finanças e a busca FIRE

Muitos de vocês já devem ter lido ou ouvido a expressão americana "Keeping up with the Joneses". 

Este termo se popularizou muito a partir de uma tirinha cômica antiga. Basicamente a expressão se refere a comparação que as pessoas fazem com seus "vizinhos" como padrão para sua própria vida.
Se você vive em um bairro caro por exemplo, todos naquele bairro tentarão viver no mesmo padrão, podendo ou não fazer isso do ponto de vista de suas finanças pessoais. Para resumir, "Keeping up with the Joneses" significa manter as aparências e isto acontece em todo lado:


Na família

A primeira vista você pode pensar que não acontece com você mais acontece sim, acredite.
Sua família é um dos seus principais "joneses". Você deve ter aquela tia/tio que repara em tudo em sua casa e quando você os visita sempre tem mais e melhores móveis, automóvel, casa, etc, mesmo você sabendo que eles não tem condições de ter ?

Nas redes sociais

Já virou moda postar as fotos mais bonitas, felizes e dos lugares mais incríveis nas redes sociais e muito disso é só para parecer que você é algo que não é.
Isso faz você imaginar o que há de errado com sua vida. Ele coloca em sua cabeça uma série de pensamentos e sentimentos que refletem a diferença e indiretamente, inveja. Qual é a sua resposta natural? Para fazer o que eles estão fazendo. É assim que a mídia social desenhou uma cultura de competição.

Ostentação

Parece que está na moda a tal da ostentação. Mostrar que você tem acesso ao que não tem. Uma versão totalmente editada de uma vida que não te pertence.

A receita: Aceitar sua realidade, ignorar as massa e ser feliz com o que você tem

Em vez de se concentrar na imagem e no estilo de vida que as pessoas tentam projetar nas mídias sociais, você precisa ser firme e centrado em seus próprios objetivos. Isso é, viver sem dívidas, dentro de suas possibilidades e construindo um patrimônio. Ao mesmo tempo, aproveitar a vida com moderação.
Quando foi a última vez que você viu seus amigos de mídia social se vangloriando de pagar seu empréstimo em dia? De não terem dívidas? de comprar em promoção? 
Com muita certeza as chances são de que você não tenha visto muito  porque vivemos em uma cultura onde a aquisição de coisas é celebrada e elogiada. Por isso mesmo poucos da blogosfera se sentem a vontade para falar disso fora dela, não é mesmo?

Então enquanto outros persistem ou fingem ser "os Joneses", nós estaremos vivendo sem dívidas e poupando para nos juntarmos ao pequeno e de certa forma impopular grupo de pessoas no mundo que valorizam a liberdade que o dinheiro pode proporcionar  - a comunidade  FIRE ! Se você pensa assim, seja bem-vindo a ela e ignore "os Joneses" !



33 comentários:

  1. Olá AA40,

    Parabéns pelo post.
    Realmente, muitas pessoas se exibem nas redes sociais o que elas não são.
    Eu não ligo para o que os outros falam. Vivo minha vida conforme eu achar melhor.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nada melhor que isso. Cada um viver a sua vida como achar melhor! Abcs

      Excluir
  2. Tem outra versão para essa expressão, em referência à família Jones dos EUA.

    Sabia que essa família Jones foi à falência?

    Trata-se de uma familia bastante rica da gilded age dos EUA, construiram uma mansão gigante perto de Nova York em uma região bastante afluente. Daí depois que ficou pronta provocou uma correria entre os ricaços para construirem casas mais imponentes ainda! Por isso o termo: keep up with the Joneses. Essa é uma das histórias.

    Essa família foi perdendo sua fortuna até a crise de 29.

    Hoje em dia foram substituídas pelas personalidades da internet, inclusive com o novo termo: keep up with the kardashians.

    No fim das contas a questão é que os joneses estão quebrados!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bacana, esta segunda definição da origem já tinha lido mas confesso que não lembrava. Abcs

      Excluir
  3. AA40,

    Muito bom o seu post, tem muito a ver com o que acredito.

    "Vivemos em uma cultura onde a aquisição de coisas é celebrada e elogiada."
    Acho muito estranho que em pleno século XXI esse hábito ainda seja tão comum em nosso país.

    Precisamos mesmo ignorar os Joneses e nos conhecermos melhor para que dessa forma encontremos nosso próprio caminho e não o que a mídia e a sociedade sutilmente querem nos impor.

    Um bom final de semana,
    Simplicidade e Harmonia

    ResponderExcluir
  4. Não da pra se comparar mesmo. Por exemplo, eu moro no PR e busco a IF, ok. Uma garota que conheci pela internet e que gosta de mim e mora em SP tem várias fazendas nas quais a família dela vende carne pra Friboi.

    Ela coleciona roupas, calçados, moedas antigas, maquiagens, ela possuí vários apartamentos de aluguel, terrenos, empresas compradas com o dinheiro das fazendas e tal, viaja pra qualquer lugar do mundo quando quer, ela tem carro caro e é mais nova que eu.

    Não tem comparação. Não adianta comparar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É meu caro, muitos te dirão "Se deu bem" mas no final sabemos que estas diferenças gritantes vão gerar muito atrito. Nada como você crescer por sí mesmo e conseguir realizar suas metas. Abcs

      Excluir
  5. Sobre o assunto sugiro ver o filme "The Joneses" (Amor por Contrato em portugues - tradução bisonha). Acho que está disponível no youtube.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela dica. Que tradução ridícula hein! ahhahah

      Excluir
  6. Quando a gente é pequeno, os pais tem uma grande preocupação com as más companhias, que podem nos levar ao mau caminho. Creio que essa coisa de "se manter no nível dos vizinhos" de certa forma passa pela mesma "má influência". O meio onde você convive influencia pesadamente em seu comportamento neste sentido. Aqui, nesta finansfera, a gente acaba buscando ler pessoas que pensam de maneira mais frugal e obtendo um reforço positivo para este comportamento. Quando você vive num meio onde todos buscam ostentar, este é
    o tipo de comportamento que recebe reforço positivo, as pessoas passam a falar (bem ou mal) de quem tem o carrão, passam a querer estar próximas e quem não é sujeito desta admiração/inveja acaba querendo se colocar neste lugar. E a única maneira é repetindo o mesmo padrão de comportamentos.

    Acho uma dádiva poder ler e compartilhar com pessoas que vêem o mundo desta maneira frugal (seja mais ou menos extremo) e reforçar em mim que este comportamento é positivo.

    Abraço e sucesso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estamos juntos ICM. Nós vemos o mundo de maneira semelhante e compartilhamos valores e práticas financeiramente saudáveis e isto nos torna uma comunidade, the FIRE community!

      Excluir
  7. Ao contrário dos Joneses tb existe uma tribo no finansfera que se auto intitulam Fireses.

    Eles vivem igual mendigo em um apartamento de periferia, levam marmita pro trabalho mesmo tendo 2 milhões em ações, possuem um carro velho de 20 anos que não fazem manutenção, provavelmente também só tem 1 par de sapatos furados, vão de bicicleta no mercado pra economizar gasolina mesmo na chuva e aportam 90% do salário.

    O mais triste é ver os Fireses morrendo na praia com 30 anos por causa de um mal súbito sem ter aproveitado nada e a esposa viúva gastar rapidinho os milhões que levaram anos para serem acumulados.

    Joneses ou Fireses ? Eu prefiro ter equilíbrio na vida aportar 50% e gastar os outros 50% OBRIGATORIAMENTE.

    ResponderExcluir
  8. Uma vez comentei por alto sobre meus hábitos de consumo e recebi uma reação tão inesperada de alguns amigos, no estilo julgamento mesmo, que me fechei em copas depois disso. Inventei de comentar que economizava fazendo compras em supermercados populares e recebi uma rajada de balas dizendo que era impossível encontrar alimentos de qualidade nesses mercados. E eu achando que esse seria a parte menos polêmica, já que vc encontra uma boa parte dos produtos básicos com as mesmas marcas, independente de qual seja o mercado. É por essas e outras que eu acho que o alcance da educação financeira é limitado. Se uma pessoa com pós- graduação acha um absurdo economizar 30% indo a um supermercado simples, não é uma questão cognitiva, mas sim de auto-imagem e de necessidade de seguir uma manada que pertence ao mesmo grupo social.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvidas ABM. Compartilho este hábito com vc. Devemos ignorar estas pessoas e fazer o que achamos que mais vai contribuir para nossa vida tanto pessoal quando financeira. Ignore the Joneses !! Abcs

      Excluir
    2. Eu depois que comecei a fazer compra por atacado passei a gastar 1/3 do que gastava nesses mercados populares com essas marcas não tão conhecidas mas que também são boas.

      È aquele lance de ostentação que os bonobos da banânia possuem, querem ostentar tanto com tênis nike e camiseta supreme e até com marca de papel higiênico, como seu um NEVE limpasse melhor a bunda do que um Rolão.

      Excluir
    3. Perai, com papel higiênico aí é demais. Corta o não essencial. Tipo refrigerantes

      Excluir
    4. Concordo com você, ABM, especialmente quanto à afirmação: "... o alcance da educação financeira é limitado".

      Educação financeira nunca fará frente a todo um sistema baseado no consumo habitual de supérfluos e produtos de marca. Os incentivos para esse hábito são muito fortes: o Estado precisa dos impostos; o chefe/gerente/diretor precisa impressionar os clientes e subordinados; os subordinados precisam impressionar o chefe e os colegas; estrelas de Hollywood vendem a vida perfeita baseada em supérfluos etc etc.

      Não tem educação financeira que resista a esses impulsos animalescos!

      Excluir
  9. Seria muito bom se essa comparação fosse em outros aspectos da vida. Fulano tem graduação, vou fazer uma pós ! Ciclano faz atividades físicas duas vezes por semana, vou fazer 3 vezes ! Joãozinho economiza 10% do salário, vou economizar 15% !
    Mas infelizmente a comparação é apenas para bens materiais.

    ResponderExcluir
  10. Para uma mente mais fraca, a pior coisa é o Instagram . Ali é onde tem a exibição que quem se deixar levar já era. Impressionante.

    ResponderExcluir
  11. Vou para de assistir o canal OFF fico vendo os caras pegando aquelas ondas perfeitas em lugares paradisíacos, me dá uma inveja que é de morrer. Vou ter que me contentar com o bate e volta de carro no final de semana mesmo e quiçá algumas vezes durante a semana. Belo post, parabéns pelo trabalho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha, olha FIRE pode te ajudar a fazer disso uma constante em sua vida. Uma vez que nao precisar mais trabalhar para se sustentar poderá surfar todo dia se quiser. Fazer como o IF365 e mudar para um lugar de praias como Bali. Usar estas imagens para focar ainda mais nas metas e tentar antecipá-las. Abcs

      Excluir
  12. As redes sociais são a doença da sociedade moderna! As pessoas não se comparam só com os vizinhos mais, agora é uma comparação é uma competição infinita. Isso só gera frustração e ansiedade. Vc já ouviu falar sobre o inner e o outer scorecards? São critérios para vc se avaliar são internos ou externos. Depender de validação
    Externa é a chave da frustração. Vc vai entregar sua aceitação a gente que não está nem aí pra vc

    ResponderExcluir
  13. Pior que meu grande problema nem é querer manter as aparências ou acompanhar o estilo de vida dos amigos, o meu verdadeiro problema é querer o melhor pra mim... tipo se vou comprar um telefone novo não resisto em comprar o TOP, se vou trocar de computador acabo gastando mais que o necessário pq compro um TOP, etc... preciso aprender a domar esse impulso, sou prato cheio para vendedor que gosta de empurrar o produto mais moderno e cheio de firulas, penso comigo "já que vou ter que comprar então que seja o melhor mesmo", isso me incomoda bastante.

    Sr.IF
    www.srif365.com

    ResponderExcluir
  14. Eu consegui aos 38 anos minha independência financeira. Não tenho filhos e nem esposa - só namorada - e hoje, aos 46 anos me dou ao luxo de escolher quando e como trabalhar. Vivo tranquilamente do mesmo modo que me aposentei sendo extremamente grato pelo que tenho. Com planejamento, foco, dedicação, qualquer um chega lá! É só querer e ter paciência!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. LEgal anon. Se quiser nos contar um pouco de sua jornada, do seu planejamento, etc, nos contate por email para uma entrevista para publicarmos aqui. (aposente40@outlook.com) Abcs

      Excluir
  15. Legal, acho importante a existência da nossa comunidade pela facilidade de encontrar pessoas com mindset similar, pois no dia a dia soh vejo insanidade, da impressão que somos poucos num mar de gente..

    ResponderExcluir
  16. Muito pertinente o tema, AA40, parabéns!

    Certo dia recebi visita de tia e primo. São exatamente como é descrito no texto, vivem uma vida que não podem, mesmo quebrados financeiramente com longos financiamentos e empréstimos bancários, ostentam e estão sempre ganhando muitas views nas redes sociais com suas viagens e aquisições inúteis.
    Eles sabem que tenho receita muito superior a deles, e fui duramente criticado justamente por levar uma vida frugal, moderada e sem futilidades. Meu primo mesmo indagava: "Rapaz, vá para a Europa, faça cruzeiros em navios, troque seu carro velho por um zero km, você tem grana sobrando! Da vida não se leva nada! Aproveite sua vida enquanto está vivo!"
    Apenas fiquei ouvindo e balançando a cabeça, mas no fundo sabendo que toda essa superficialidade não leva a nada a não ser dívidas e perpétua dependência financeira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ha acho que todo mundo tem este tipo de parente. Igual em todas as famílias.
      No futuro serão estes que virão pedir dinheiro emprestado para vc quando toda a pompa acabar e o banco e a financeira não derem mais crédito.
      Ou, se trabalham, vão ter que trabalhar até o último dia da vida para sustentar os luxinhos- estes sim são escravos modernos!
      Abcs

      Excluir
  17. Muito comum isso aqui no Brasil AA40.

    Eu tenho carro importado como já falei no Twitter, viajo duas vezes por ano para o exterior, tenho uma ótima vida sem comprometer meus aportes mas mesmo assim quando estou perto de algumas pessoas me sinto como se tudo que tivesse tanto em bens como em investimentos fossem micro perto dessas pessoas.

    Pior que sei que elas não tem um terço do que tenho mas parecem ter o triplo 😂😂😂. Que Deus conserve minha pequenice ao lado deles.

    Não conhecia esse ter o aí.

    Abraço.

    ResponderExcluir

Mensagens ofensivas e críticas infundadas não serão toleradas. As mensagens aqui postadas podem não representar a opinião do blog AA40. Os posts aqui mostrados não representam sob hipótese nenhuma recomendações de investimento.