Subscribe

Estudo de Caso: FIRE é possível para quem segue uma carreira acadêmica?

Prezados leitores. Vamos a mais um estudo de caso. Este pedido nos chegou há mais de um ano atrás. É talvez um dos mais difíceis recebidos até aqui e por isso, mais uma vez, recorremos ao brilhante trabalho do João Duarte do blog e canal YoutubeDinheiro, Investimento e Lazer para estudar o caso: 
Vamos ao estudo do S30 e da E29:
Boa tarde, tudo certo? Vou tentar ser breve. Bom, eu sou o S30 e a minha companheira é a E29, temos 30 e 29 anos como indicam os apelidos. Ambos graduados na área de humanidades. Eu estou cursando o mestrado, minha companheira está prestando o doutorado, então a tendência é que ambos terminem a formação acadêmica até o doutorado (faltam aproximadamente 6 anos para isso) para seguir na carreira acadêmica. Pela natureza destas escolhas, temos e teremos nos próximos anos um rendimento bastante baixo, mas relativamente estável. Estamos juntos e casados a quase dois anos, não temos filhos e não planejamos ter dentro deste prazo. Dito isso,  gostaria de apresentar nossas despesas mensais hoje. Depois de conhecer o movimento FIRE e fazer muitos ajustes chegamos a uma vida bastante frugal, mesmo morando em uma cidade cara. Segue:
  • 30% Aluguel e Condo R$1050
  • 10% Água, Energia, Celular, Internet e Netflix R$350
  • 25% Supermercado R$875
  • 05% Transporte R$175
  • 02% Esportes R$70
  • 03% Pets R$105
  • 20% Lazer/Entretenimento/Livros R$700
  • 05% Poupança R$175
  • 100% Total R$3.500
Existem algumas pequenas variações, mas este é o planejamento que estamos seguindo e a porcentagem da nossa renda que destinamos para cada um dos nossos gatos mensais. Tentamos não ultrapassar nenhum deles e estamos cumprindo rigorosamente até agora. O problema hoje é que chegamos ao limite, não é possível diminuir estes custos, mas também não temos tempo disponível para criar outras fontes de renda e poupar, como pode ser observado, tem sido muito difícil construir sequer uma reserva de emergência, coisa que ainda não foi necessária, mas eventualmente pode ser.Assim, chegamos a nossa folha em branco... recebemos recentemente uma herança no valor de R$ 500.000,00 e é tudo o que temos. Não temos carro, não temos imóvel, não temos dívidas, não temos investimentos.Idealmente, antes de conhecer o FIRE, pensávamos em construir uma pequena renda passiva a partir deste dinheiro, provavelmente com Tesouro, para trazer um alívio no balanço doméstico e poder poupar a partir daí pensando no longo prazo. Adequando os gastos e tomando o controle disso, percebemos que isso não é necessariamente um imperativo. Já que estamos presos no prazo de 6 anos de qualquer forma, gostaríamos também de chegar a uma independência financeira neste prazo. Talvez, quem sabe, o tão almejado FIRE! Não pretendemos aumentar nosso custo de vida nestes próximos anos além de no máximo 500 reais por mês, somando 4.000 reais/mês, e esta renda esta relativamente garantida por esse período de tempo (6 anos).Já sabemos que seria necessário quase triplicar este dinheiro para o FIRE, isso se torna um problema pois ambos tem um perfil bastante conservador. Estudando as possibilidades, compreendemos bem a dinâmica da poupança e do Tesouro, obviamente, nos inclinamos a segunda, mas nosso conhecimento para por aí. Nos falta alguma orientação para continuar os estudos e tomar as decisões.Algumas sugestões do que fazer com esse dinheiro surgiram, tais como a compra de um apartamento à vista para abater o custo mensal do aluguel (hoje o imóvel alugado vale cerca de 210.000, poderíamos comprar por 190.000 à vista), investir na construção e venda de imóveis (existe uma oferta em torno de um terrenos + construção que sairiam por 270.000 e poderiam ser vendidos abaixo do valor de mercado por 390.000, mas não sei em qual prazo), e tantas outras que vocês possam imaginar... Não estamos seguros com nenhuma destas sugestões, a dúvida persiste.No nosso planejamento a independência financeira deveria acontecer com a conclusão da formação de ambos. Temos projetos para depois disso tirar algum tempo para voltar a viajar por longos períodos, com imersão cultural nos países e nos dedicar a outras atividades no âmbito das artes, como costumávamos fazer antes de dedicar 100% do tempo à formação acadêmica. Estudando sobre investimentos entendemos que esse é um objetivo pouco realista, pelo menos neste prazo, então a possibilidade de uma renda fixa que possa substituir gradativamente estes 4.000 reais mensais nos atrai, o problema é saber que sem possibilidades de complementar a renda para poder fazer novos investimentos à longo prazo este montante não deve crescer e nunca iremos conquistar FIRE. Gostaríamos de sair da corrida dos ratos, porque apesar de gostarmos muito, estamos cansados do ambiente acadêmico e sem garantias de emprego, mudar de ramo hoje nos deixa com 30 anos de idade sem uma garantia de atuação profissional que traga alguma segurança financeira. Este é o dilema. Pedimos desculpas pelo caso trazer tantos aspectos extremamente subjetivos, mas há que ser honesto com a própria maturidade financeira e ambições, não é? Estamos abertos ao estudo e todas as sugestões!Abraços!



DIL: Olá S30 e E29, fico feliz em termos cada vez mais pessoas interessadas no movimento FIRE. 

Vocês atualmente estão na área acadêmica, como vocês mesmo falaram no Brasil as pessoas na área acadêmica não tem um rendimento muito alto, embora relativamente previsível. 

Atualmente vocês tem uma taxa de poupança de 5% (175 reais por mês) e 95% de despesas (3.325 reais por mês), o vosso custo de vida não é muito alto, o problema é que a remuneração também não é muito alta. 

Para ser FIRE com uma despesa por mês de 3.325 reais por mês (39.900 reais por ano) com a regra dos 4% precisariam em investimentos um patrimônio de 997.500 reais, quase 1 milhão de reais, ou seja, o dobro do que dispõem agora (500 mil reais). 

Como vou falar de investimentos, relembro que todos os investimentos que falar aqui são opiniões pessoais e não recomendações. 

Mesmo para usar a regra de 4% neste momento com a renda fixa tão baixa é preciso ter uma carteira equilibrada entre renda fixa e renda variável, para fazer isso é necessário estudar e também ficar tranquilo com a volatilidade da carteira. 

Para transformar 500 mil reais em 997.500 reais em 6 anos, precisamos de ter uma rentabilidade total de 99,5% no total ou 12,2% ao ano. 

Essa rentabilidade deveria ser real para não perder poder de compra, com uns 4% de inflação daria uma rentabilidade de 16,2% o que é bem difícil, precisa de muito conhecimento e também sorte para pegar um ciclo de alta, além de ser bem arriscado, ainda mais para quem não é investidor de longo prazo da bolsa de valores. 

Por isso, preciso pensar em coisas mais realistas e mais tranquilas. Então melhor esquecer a independência financeira no prazo de 6 anos, antes de partir para planos muito arriscados que costumam levar a grandes perdas. 

Se fizer a reserva de emergência de 12 meses com um custo de vida de 3.325 reais você precisa ter em reserva de emergência 39.900 reais, podendo investir os outros 460.100 reais. 

Se investir esses 460.100 reais em tesouro IPCA com uma taxa de 4,21% ao ano, com uma inflação de 3,92% isso daria uma rentabilidade bruta de 8,30% e uma rentabilidade liquida de taxas e impostos de 7,51% ao ano, se retiramos a inflação no período de 3,92% ficamos com uma rentabilidade real de 3,45% (fiz essa contas no simulador do tesouro direito). 

Retirando a rentabilidade real para o seu patrimônio ser ir atualizando pela inflação poderíamos retirar por ano 15.873 reais ou 1.322 por mês. 

Se investisse esse dinheiro numa carteira diversificada de FIIs e ações de dividendos talvez consiga uns 5% de rentabilidade real. Por essa taxa poderia retirar 23.005 reais por ano ou 1.917 reais por mês. 

Mas como o seu perfil é conversador melhor ter cuidado com a bolsa quedas de 30%,40%,50%,60% são comuns provavelmente você se ia assustar e vender no fundo perdendo metade de herança. 

 Por isso, se quiser investir um pouco em ações e FIIs faça aos poucos mensalmente,  com 500 ou 1000 reais por mês para se ir habituando e vá diversificando a carteira com o tempo.  

Agora pensando nas opções de investimentos, o aluguel e o condomínio ficam em 1.050 reais como não foi especificado eu vou supor que o aluguel fique em 800 reais e o condomínio em 250 reais.

Fazendo um calculo da rentabilidade 0,42% ao mês (800 reais que poupam a dividir pelo preço de 190.000 reais) ou 5,05% ao ano (800 vezes 12 meses a dividir por 190.000 reais que é o preço de comprar apartamento), este valor costuma ser rentabilidade acima da inflação já que o valor do aluguel costuma aumentar ao longo do tempo de acordo com a inflação. 

Então neste caso a sua despesa mensal de 3.325 por mês cairia 800 reais e ficaria 2525 reais por mês, o seu dinheiro também cairia para 310.000 reais. 

Esses 310.000 podiam usar os 39.900 reais para reserva de emergência e o resto 270.100 usar para investir entre renda fixa, CDB, LCI, LCA, Tesouro Prefixado, Tesouro IPCA, sempre pensando em levar os investimentos até ao vencimento para não perder dinheiro, isso deveria dar uma rentabilidade real de uns 3%.  

Com essa rentabilidade real de 3% isso daria uma renda de 8.103 reais por ano ou 675,25 reais por mês. 

Em relação ao terreno mais construção de compraria por 270.000 para vender por 390.000 isso daria uma rentabilidade bruta de 44,4%, agora falta saber o período de tempo.

Se for em um ano dá uma rentabilidade bruta de 44,4% ao ano, se for em 2 anos isso já dá uma rentabilidade bruta de 20,16% ao ano, se for em 3 anos dá uma rentabilidade bruta de 13,03% ao ano, se for em 4 anos dá uma rentabilidade bruta 9,62% ao ano, se for em 5 anos dá uma rentabilidade bruta de 7,62% ao ano.

Agora estas rentabilidades têm de se tirar taxas, impostos e a inflação para ser rentabilidade real. Até uns 4 anos (ideal 3 anos) ainda pode compensar a rentabilidade, depois disso já não. 

No entanto, é preciso ver se o vai ser mesmo vendido do por esse valor depois, o que muitas vezes não acontece e fica com o dinheiro parado, essas coisas muitas vezes são melhores no papel do que na realidade. 


Independência Financeira em quantos anos?


Na primeira hipótese, vocês investiriam de maneira conservadora em renda fixa em um mix de produtos entre Tesouro IPCA, CDB e LCI, sempre respeitando para ter menos de 250 mil em cada investimento (CDB e LCI para ter proteção do FGC), já que a regra são 250 mil reais por instituição financeira e por CPF, talvez consigam uma rentabilidade real em torno de 3% ao ano.

Com um custo de vida de 3.325 reais por mês precisariam de 1.330.000 reais

Então retirando a parte de reserva de emergência 12 meses do custo de vida mensal (3.325 vezes 12 que dá 39.900) sobram para começar a investir 460.100 reais por aportes mensais de 175 reais, com uma taxa rentabilidade real de 3% ao ano, precisariam de 33 anos para alcançar os 1.330.000 reais.  

Lembrando que dá a 33 anos esse valor será muito maior mas comprara o mesmo que 1.330.000 reais por isso se usa rentabilidade real.

Na segunda hipótese, vocês comprar a casa por 190.000 o que tiraria o aluguel mensal que estimei em 800 reais então o vosso custo de vida reduziria para de 3.325 reais para 2.525 reais (já que não ia pagar aluguer) e aumentaria o seu aporte mensal de 175 reais para 975 reais. 

Neste caso sobram para começar a investir 270.100 reais mais aportes mensais de 975 reais com uma rentabilidade real de 3% ao ano, precisariam 26 anos para chegar-nos 1.010.000 que dariam uma renda de 2.525 reais necessários para viver na independência financeira neste caso com o apartamento comprado. 


Soluções para chegar na Independência Financeira mais cedo

As soluções são sempre as mesmas três: aumentar a renda, reduzir o custo de vida, aumentar a rentabilidade.

Aumentar a Renda – Esta talvez seja a melhor solução quando acabar o doutoramento vocês podem tentar arrumar rendas extra e alguns trabalhos na sua área que deem um extra para aumentar bem os seus aportes quando mais alto forem os seus aportes mais rápido chegam na independência financeira, talvez tire algum tempo livre, mas pensando no longo prazo vale muito a pena.

Reduzir o Custo de Vida – Atualmente gastam 20% da renda com lazer 700 reais, uma alternativa seria gastar 10% da renda com lazer e sobrariam para investir mais 350 reais, que na primeira hipótese sem a compra da casa aumentaria o aporte mensal de 175 reais para 525 reais e na segunda hipótese com a compra da casa, aumentaria o aporte mensal de 975 reais para 1275 reais, que levaria a chegar na independência financeira mais cedo, entre este de redução do custo de vida e aumentar a renda vocês tem de escolher um ou então fazer os dois. Talvez vocês não queriam reduzir o lazer então ter mais renda extra seria o ideal.

Aumentar a rentabilidade – A rentabilidade real de uma carteira conversadora de renda fixa variada não vai além de 3% ao ano, já se for uma carteira equilibrada a rentabilidade real fica nuns 4% ao ano, se for uma carteira de renda variável pode ir até uns 6% ao ano de rentabilidade real. No entanto, uma carteira renda variável traz quedas com alguma frequência de 40% da carteira ou mais, traz 5 a 6 anos rentabilidade negativas nos ciclos de baixa e preciso ter muito conhecimento e muito estomago para aguentar a volatilidade e não vender na baixa. Quem não esta habituado a renda variável num queda de 40% ou 50% ou numa crise de 5 ou 6 anos fica varias noites sem dormir até que vende os seus investimentos com um prejuízo de 50% perdendo metade do que investiu. A pessoa pode escolher uma carteira de ações, de fundos imobiliários, de stocks, ou pode optar por ETF atualmente já temos opções de investimento passivo bem fáceis como para ações brasileiras os ETFs SMALL11 ou BOVA11, para ações americanas o IVVB11 e para fundos imobiliários o Fundo de Fundos IFIE11 em breve vai sair o KISU11 além de XFIX11. Se a pessoa quiser pode experimentar investir mensalmente uns 500 reais por mês para ver como se sente e ir estudando e aprendendo entanto isso, se habitando a renda variável aos poucos.

A melhor solução para ter independência financeira mais rapidamente, seria fazer tudo combinado, aumentar a renda com renda extra, reduzir se possível o custo de vida e aprender a investir em renda variável (aumentando aos poucos mensalmente a sua exposição na renda variável). 


Conclusão

Infelizmente para ter independência financeira cedo não há milagres. Preciso ter um poder de aporte, viver de um jeito que consiga ter um taxa de poupança bem grande (quando maior a taxa de poupança mais cedo tem a independência financeira), depois investir bem, este é o fator que no curto prazo não tem tanto peso como os outros, acaba tendo um peso maior no longo prazo já que os juros compostos têm mais tempo para atuar. 

Este casal, se conseguir aumentar os aportes com renda extra, depois estudar um pouco investimentos poderá ter a independência financeira uns bons anos antes da sua aposentadoria (a idade da independência financeira depende do aporte e da rentabilidade da carteira) o que já seria muito bom, já que a idade da aposentadoria tende aumentar cada vez mais. 

Espero que este casal consiga chegar na independência financeira!


Comentem abaixo e sigam o DIL no seu canal do Youtube





Isenção de responsabilidade: Todo conteúdo publicado neste site baseia-se no direito de expressão garantido nos arts. 5º, IV e 220 da Constituição Federal de 1988. Não somos profissionais de investimentos nem consultores financeiros licenciados. Nenhum ativo e/ou estratégia de investimentos aqui mencionados deve ser considerado indicação de investimento.. Este blog representa apenas opiniões e decisões pessoais, que podem não ser apropriadas para outros investidores. Por favor, use o bom senso e/ou consulte um profissional de investimento certificado antes de investir seu dinheiro. AA40 não é responsável pelos resultados de suas decisões, nem responsável pelos comentários postados pelos leitores ou pelo conteúdo de quaisquer sites vinculados. Este blog deve ser visualizado apenas para fins educacionais ou de entretenimento. Resultado passado não é garantia de resultado futuro.

11 comentários:

  1. Pagando 800 de aluguel num apartamento de 190mil dá 5% ao ano. Com 500mil na conta nao acho possivel alcançar essa rentabilidade LIQUIDA, e comprar o imovel me parece uma boa opçao se o negocio estiver num preço abaixo do mercado.

    Com 300mil restando pra investir nao adianta querer arriscar para alcançar rendimentos maiores.

    O importante é sempre ter receitas maiores que as despesas, ir poupando e conforme o bolo for aumentando, ir realocando os investimentos.

    Acho que o desafio maior é seguir na carreira que escolheu, e tirar o maximo de rendimento que a profissao escolhida puder oferecer.

    ResponderExcluir
  2. Nao coloque mais de 25% em ativos volateis como bolsa, moeda estrangeira ou criptomoedas. Mas coloque sim algo nesses ativos para exercitar sua capacidade de investir, perder e ganhar.
    Deixe pelos menos 2 anos de seu custo de vida (4x24= 96mil) em ativos mais seguros, em ativos com liquidez imediata e uma boa parte em rendimentos atrelados a inflacao.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. olá, Discordo de alguns pontos:

      1º "não coloque mais de 25%", substituiria por "não coloque tudo, mas coloque o que te deixa confortável", esse ponto de porcentagem é relativo a cada um, eu por exemplo entendo uma carteira 50 RF / 50 RV bem tranquila se bem diversificada. E não tem segredo, se quer uma rentabilidade descente, vai precisar se expor bem a RV.

      2º "deixe pelo menos 2 anos em ativos seguros, liq imediata". novamente iria pelo caminho do "deixe o que te mantem confortável", esse ponto é bem mais complicado, mas tb é relativo, um profissional concursado por exemplo, 12 meses ao meu ver estaria de bom tamanho. Simule 48k investidos 15-20 anos em RV e dps a juros baixos (como estamos agr) e o custo de oportunidade vai ser brutal.

      Excluir
    2. digamos que eu nao me sentiria confortavel com mais de 25% de renda variavel no caso deles, nem menos de 2 anos de reserva de emergencia.

      Pensando no momento atual, eu teria ainda menos em renda variavel. Eu nao arriscaria.

      Excluir
  3. Se estão em carreira academica tem que gostar viu, o trem que exige paciência e muito gosto é essa area, fora isso é continuar vivendo a vida e aproveitando, se voces gostam mesmo da area que escolheram vão amar trabalhar, FIRE com 50 anos de vida é ótimo, aliás as vezes nem vai da pra ser FIRE mas se aposentar sem depender do governo por volta dos 60 anos é ótimo também, boa sorte ao casal!

    ResponderExcluir
  4. Estou tentando entender porque estão seguindo uma carreira acadêmica, tão difícil, se querem se aposentar na sequência..?

    Cinthia

    ResponderExcluir
  5. Carreira acadêmica (enquanto bolsista) é algo que remunera bem mal. Mesmo que termine o mestrado, doutorado, pós-doutorado, nada garante que conseguirá um emprego com um salário alto. Os (poucos) concursos são um grande funil, centenas de pesquisadores tentando entrar em concursos de universidades renomadas para se tornarem docentes. Não querendo ser pessimista, mas acho difícil o casal conseguir ser FIRE em poucos anos, principalmente com aportes tão baixos.
    O ideal, é realmente postergar o prazo FIRE para daqui a pelo menos 15 anos, quando eles terão 45 anos, serão bem jovens ainda, e com o poder dos juros compostos, essa herança de 500 mil irá crescer bastante.

    ResponderExcluir
  6. Com essa taxa de poupança infelizmente fica bem difícil... só mesmo chutando o pau da barraca e colocando esses 500 mil em bitcoin e quem sabe colher os frutos daqui uns 6 anos. Proposta absurda mas ao meu ver é a única maneira de atingir o objetivo que eles descreveram no e-mail. Infelizmente não tem mágica, FIRE se conquista com taxa de poupança e tempo... qualquer coisa fora disso é bilhete de loteria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ô comentário do Sr IF365 é bastante pertinente.
      Com esta taxa de poupança e esse nível de aportes, pra esse casal conseguir atingir a IF em tão pouco tempo, só mesmo praticando um investimento de altíssimo risco como esse.
      Vejam o exemplo dessa família:

      https://exame.com/future-of-money/criptoativos/familia-troca-tudo-por-bitcoin-fica-milionaria-e-preve-moeda-a-200-mil/

      Mas pra fazer isso, precisa de muita coragem!

      Excluir
  7. Muito legal o casal querer carreira acadêmica. Só com bons professores é que teremos um país melhor.

    E, nossa, que aluguel barato!

    Assim, acho improvável que compense a compra de um imóvel com o dinheiro que possuem, que poderia ser utilizado como gordura nesse tempo de vacas magras. Além disso, pode ser que após a formatura vocês tenham que se mudar para outra cidade ou estado para assumirem as suas funções.

    Talvez o foco do casal seja o de tentar amarrar bem a rotina para ao menos manter as despesas estabilizadas pelos próximos anos, arrumar eventuais bicos para complementar a renda neste período, e, principalmente, traçar um bom planejamento para conseguir um bom emprego após a formação (seja público ou privado).

    Abraço e sucesso.

    ResponderExcluir
  8. Acho que eles tem que reconhecer que esses 500 mil de herança é um bom dinheiro mas como demonstrado nao é suficiente pra atingir IF. Esse dinheiro pode ser visto como uma segurança para eles explorarem formas de aumentar a renda e aí sim quem sabe tentar a IF. 30 anos ainda é jovem, aproveita agora.

    ResponderExcluir

Mensagens ofensivas e críticas infundadas não serão toleradas. As mensagens aqui postadas podem não representar a opinião do blog ou autores do AA40. Os posts aqui mostrados não representam sob hipótese nenhuma recomendações de investimento.