Subscribe

A inflação do seu estilo de vida

A inflação do seu padrão de vida (ou lifestyle inflation em inglês) refere-se ao aumento quase automático dos gastos quando a renda aumenta. 
A inflação devido a mudança do padrão de vida geralmente ocorre quando se passa da vida de estudante a vida de empregado em tempo integral. 
Você lembra como e em que condições vivia quando era um estudante universitário? Eu, por exemplo, não tinha carro, nem bicicleta, não tinha apartamento próprio. Vivia na casa do estudante universitário público, compartilhando o mesmo dormitório com colegas, cada um com apenas uma escrivaninha e uma cama tipo beliche. Trabalhava meio período que mal rendia para comprar comida e roupas. Livros não podia comprar então "tirava xerox" dos amigos que podiam comprar. A frugalidade era máxima embora sejam tempos que me trazem muitas saudades principalmente das amizades, despreocupações e simplicidade de viver a vida.


Por mais que você tente não inflacionar seu padrão de vida ao longo dos anos, é praticamente impossível não o fazer. Quanto mais você recebe, mais você tende a gastar. Até as pessoas da comunidade FIRE não escapam disso. Um médico que gaste 10 mil reais por mês é considerado frugal. 
As pessoas tendem a aumentar seus gastos cada vez que sua renda aumenta, porque acreditam que os bens e serviços adicionais que estão comprando os tornarão mais felizes e agora são coisas necessárias e não mais vistos como luxos como outrora eram. Muitas vezes, essas compras, bens e serviços não torna as pessoas mais felizes e é então que FIRE passa a ser uma saída, já que com o passar do tempo e mais maturidade, o "ser" se torna mais importante do que o "ter".

Estratégias para evitar a inflação no estilo de vida

Orçamento: O velho e bom orçamento é chave. Um aumento, depois de descontados impostos, descontos e despesas é geralmente muito menos do que você imagina inicialmente. Definir seus objetivos financeiros deverá ser um guia para forçar você a economizar ao invés de aumentar seus gastos só por que pode.

Crie memórias: Considere gastar menos com objetos materiais e considere investir em experiências de vida. Viajar de férias ou se inscrever para um curso pode criar memórias que lhe trará satisfação maior e mais duradoura além de experiencia de vida. Talvez você precise ter uma certa idade para entender isso.

Conviva com pessoas de hábitos semelhantes: "Me diga com quem andas e te direi quem é". Conviva com pessoas com gostos e hábitos de consumo mais parecidos com os seus. Evite os "Joneses" que querem aparecer e mostrar para os outros o que não possuem pois o levarão pelo mesmo caminho espinhoso.

Invista o excesso de imediato: Se estiver feliz com seu padrão de vida, no momento que ganhar um extra retire de sua conta corrente imediatamente. Invista em algo com menos liquidez e já considere isto no seu patrimônio total. Ninguém gosta de ver seu patrimônio total diminuir então você pensará 10 vezes antes de retirar dinheiro de sua carteira para gastar.


Uma renda maior ajuda você a alcançar mais metas financeiras à medida que avança na vida. Porém aquele sentimento que você tem o direito de gastar mais pois ganha mais ou para provar seu sucesso é muito perigoso. Lembre-se sempre de que seu sucesso e bem estar não deve estar vinculado a bens materiais, mas sim como você coloca seu dinheiro para trabalhar para você e seus objetivos de longo prazo, tanto financeiros quanto pessoais.

Você já experimentou a inflação no estilo de vida? Nos conte abaixo como era a vida no tempo de estudante de como é agora: 


Isenção de responsabilidade: Todo conteúdo publicado neste site baseia-se no direito de expressão garantido nos arts. 5º, IV e 220 da Constituição Federal de 1988. Não somos profissionais de investimentos nem consultores financeiros licenciados. Este blog representa apenas opiniões e decisões pessoais, que podem não ser apropriadas para outros investidores. Por favor, use o bom senso e/ou consulte um profissional de investimento certificado antes de investir seu dinheiro. AA40 não é responsável pelos resultados de suas decisões, nem responsável pelos comentários postados pelos leitores ou pelo conteúdo de quaisquer sites vinculados. Este blog deve ser visualizado apenas para fins educacionais ou de entretenimento. Resultado passado não é garantia de resultado futuro.

19 comentários:

  1. Querendo ou não, é um processo gradual que a gente praticamente nem percebe rsrs
    Quando mais jovem eu nunca ia para um shopping, cortava cabelo a cada 3 meses, roupas novas só ganhava nos aniversários, jogava videogame de 2 a 3 gerações passadas (pirata mesmo) = ERA FELIZ.
    Hoje em dia shopping quase que semanalmente, videogame de ultima geração com várias assinaturas e jogos caros, roupa que quiser, entre outros = ME QUESTIONO SE SOU FELIZ.
    Concordo plenamente, o que fica na memória é mais gratificante que simples posses de bens materiais.
    Mas felizmente andei percebendo isso após ingressar no estudo da simplicidade e frugalidade, após isso estou melhorando muito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeito SF. Isto é quase imperceptível pois é gradual, mas o importante é se dar conta disso e assumir as rédeas da sua vida novamente como está fazendo. Parabéns. Abcs

      Excluir
    2. kkkkk

      Estou na casa dos 30 e sigo com esses hábitos antigos aí do Semeador Financeiro.

      Excluir
  2. Olá, AA40.

    Parabéns pelo post. Na época da faculdade eu também vivia com o mínimo. Hoje estou bem melhor. Só que mesmo assim eu sou frugal.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Cowboy. Manter a frugalidade mesmo podendo aumentar seu padrão de vida não é para todos. Parabéns a nós que conseguimos resistir as tentações do mundo consumista. Abcs

      Excluir
  3. Acho também que com a idade muda-se o conceito de felicidade. Acho que é natural queremos melhorar nosso padrão de vida a medida que evoluímos em nossas carreiras e financeiramente, mas concordo que temos que tomar muito cuidado para não cair na armadilha de gastar desenfreado pois isso por si só não traz felicidade. Eu por exemplo quando casei morava de alguém num “apertamento” de 45 m2. Era feliz. Com o passar dos anos fui melhorando o padrão mas sempre gastando menos que o aumento de receita. Hoje moro numa casa de 300 m2. Continuo feliz e isso não mudou a essência dos meus hábitos de poupador. Para a Sra Executiva e para mim é importante termos conforto na nossa casa pois gastamos muito tempo nela. Então priorizamos isso ao invés de carrões e roupas de marca. Enfim cada um tem que buscar o que te faz feliz, mas sempre mantendo a receita básica de não gastar tudo que ganha.
    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvidas, o importante é sempre aumentar o padrão de vida abaixo do que seria possível, ou seja, gastar muito menos do que ganha, que continua sendo a chave para quem quer ser IF um dia. Abcs

      Excluir
  4. olá , parabens pelo post.

    gostaria de sugerir um post sobre a taxa cdi e selic, usados para renda fixa, será que com a reforma da previdencia, essa selic veio pra ficar? onde ir na renda fixa hj com essa reforma pra ser aprovada.?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vamos pensar em algo RAF. Se vc acredita que a reforma seja aprovada e que os juros os juros continuarão caindo, na RF prefixados seriam os mais interessantes e na RV os FIIs se beneficiariam bastante assim como a bolsa, mas tudo é "SE". Certeza ninguém tem.

      Excluir
  5. AA40 esse tópico é muito verdade. Inclusive a foto me lembra um albergue que foi uma experiencia engraçada. Na minha epoca de faculdade eu dava aula particular e monitoria o ano todo, juntava um dinheiro e pedia uma passagem de milhas de aniversario pra minha madrinha pra ir esquiar em Bariloche (grandes anos 2000 e suas crises na Argentina!). Passava o mes de julho inteiro num albergue feliz da vida. Muitos anos depois quando comecei a trabalhar voltei pra Bariloche pra ficar no mesmo albergue que fiquei a faculdade toda e foi incrivel eu sair correndo na manha do 2o dia! Quando lembrei que ninguem ia arrumar a cama e que tinha que lavar a louça me deu uma preguiça gigantesca e me ajeitei num hotelzinho barato mas que nao divida mais o quarto e nem arrumava a cama. Fiquei muito chocada na época pq eu amava aquele albergue! Enfim, por mais q tentemos ser frugais é duro o ajuste pra baixo. Como um amigo costuma dizer "naquela época de faculdade ninguem tinha um tostao furado, mas era todo mundo feliz!"
    abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Interessante esta história SS. Interessante observar que as pessoas sempre dizem que eram mais felizes quanto não tinham um tostão furado né. Será que por que neste período as amizades eram verdadeiras e sem nenhum interesse? Será que por que não se tinha a "obrigação" de impressionar ninguém? Por que era preciso ser mais ativo e fazer as coisas e não ter as coisas prontas? Muito a se pensar!! Abcs

      Excluir
    2. Acho q a saudade pra mim é da liberdade. Não quer ir na aula, tudo bem, tira xerox e estuda. Quer trocar o dia pela noite, sem problemas. Fora que a pressão de ser bem sucedido era nula. Essa vida de ter que show up 5x por semana o dia todo coloca muita amarra na gente, tipo o post do sonho de liberdade. Tive muita sorte de odiar meu 1o emprego com todas as forças e começar a juntar dinheiro cedo pra me livrar daquela vida o mais rápido possível!!

      Excluir
  6. A inflação alta é um problema. O jeito é controlar bem as finanças.

    Abraço e bons investimentos.

    ResponderExcluir
  7. Na real são uma soma de fatores, e talvez uma não citada no texto.

    O valor da tua vida atualmente
    Depois que você começa ganhar muito mais depois da vida de estudante, acontece algumas coisas.
    - Plano de saúde (não tinha antes).
    - Cortar cabelo (a cada 2-3 meses ou até mais), atualmente 1 vez por mês ... Sou médico e não da pra ser muito desleixado, querendo ou não pacientes reparam.
    - Roupas, não digo marcas, mas quando estudante, eu tinha só camisetas e jeans. Hoje tenho camisas sociais ...
    - Quanto a moradia, comecei em pensão e depois fui em kitnet na faculdade. Na vida profissional, comecei em uma repuplica (com 6 pessoas), depois kitnet e agora moro em um ap de 1 quarto.
    - Carro, melhorei bastente, comecei com um 1.0, depois um 1.6 normal, e agora tenho um 1.4 turbo com vários itens de segurança. Como disse aqui, nem é questão de chamar atençao, mas é questão de seguraça, não quero morrer em acidente em rodovia por ter um carro sem nenhuma segurança.

    Dá para se manter frugal? Sim dá, mas chega um ponto que a vida vale mais que o dinheiro que vc guarda.
    Seus artigos são excelentes. E sempre passo para colegas que querem aprender.

    ResponderExcluir
  8. Ótimo post! É interessante como realmente essas mudanças vão acontecendo sem percebermos. Acho que é ter a percepção disso e decidir o padrão e o custo que você quer é algo que a maturidade traz com o tempo.

    ResponderExcluir
  9. ótimo post
    lembrei desse:
    http://seumadrugainvestimentos.blogspot.com/2016/07/inflacao-do-padrao-de-vida-e-efeito.html

    abs!

    ResponderExcluir
  10. Ótimo post!
    Essa é a maior dificuldade. Antes gastava 2 mil e sobrava, hoje tem meses que gasto 10 mil e me vejo refletindo sobre isso. E não mudei muito o padrão de vida, mas vamos assumindo algumas contas novas (financiamento, por ex), que quando percebemos 10 mil passa a ser o gasto usual. Separo meu Budget do mês em gastos fixos e variáveis, e tento controlar estes. Todo santo mês é a mesma pergunta pra patroa "meu deus, como conseguimos isso?". Sempre surge um gasto extraordinário, impressionante.
    Controlo todas as despesas há cerca de 10 anos e sigo aprendendo...

    ResponderExcluir
  11. Grande AA40,

    Esse post é mais fácil de ser entendido por quem tem mais idade kkkkk. Nossa inflação é importantíssima e poucas pessoas se atentam a ela.
    Por exemplo, uma pessoa que tem dois filhos na escola tem uma inflação maior do que quem não tem. Quem paga plano de saúde também.
    Há um tempo eu escrevi um post sobre como calcular sua inflação. Ainda vale a leitura.
    Abraço.
    https://www.bpmilhao.com/2017/09/como-e-calculado-o-ipca-voce-ja.html

    ResponderExcluir

Mensagens ofensivas e críticas infundadas não serão toleradas. As mensagens aqui postadas podem não representar a opinião do blog AA40. Os posts aqui mostrados não representam sob hipótese nenhuma recomendações de investimento.