Subscribe

Uma maneira engenhosa de ser mais feliz no trabalho

Trabalhar. Algo notadamente nobre para o ser humano. Não é difícil vermos no noticiário filas quilométricas de pessoas em busca de um emprego comum e corrente e nos perguntamos se realmente queremos virar FIRE e largar algo tão difícil de achar.
O fato é que para conseguirmos ser FIRE um dia, precisamos trabalhar em algo para gerar riquezas para que então esta possa trabalhar para nós. Mas muitos de nós não somos felizes trabalhando. A rotina é massante, prazos cada vez mais curtos, metas mais inatingíveis e chefes cada vez piores. Agora pare e veja ao seu redor. Encontre alguém que esteja muito feliz trabalhando:

"Quando você vê alguém que está feliz e se dando bem no trabalho você percebe que, muitas vezes, ele não encontrou a posição que ocupa, ele a fez"

Este é um dos truques mais utilizados pelos executivos e pessoas que galgam cargos mais altos mas também por qualquer um que se auto motive no trabalho. Eles se moldam estes cargos. As pessoas entram na empresa via uma oferta de vaga. Esta vaga tem sua descrição de atividades, mas nada impede que a pessoa com ambição direcione as suas atividades e atribuições de maneira que possa ser candidata para vagas mais altas e cada vez mais altas. 


Quando vemos que uma pessoa saiu do chão de fábrica e se tornou vice-presidente devemos prestar atenção o que e como ela se diferenciou. Certamente além de fazer seu trabalho bem feito no chão de fábrica, ela se preocupou em fazer bem não só seu trabalho mas abraçar as responsabilidades de produção, ser um líder em seu setor, sugerir alterações realmente funcionais que tragam resultados práticos que sejam notados.
Isto é um exemplo de como se moldar a estrutura da empresa. Com certeza transformar o seu trabalho/posição não é fácil, mas existe um truque ensinado por consultores de carreira:

Durante uma semana, carregue consigo um bloco de notas. Desenhe uma linha no centro de uma página e rotule uma coluna como “Amo fazer” e a outra coluna “Detesto fazer”. Sempre que você executar uma tarefa, não importa quão pequena seja, esteja atento a como isso faz você se sentir. Você está animado com isso? Você está ansioso para fazer isso? O tempo voa quando você está fazendo isso? Ou você procrastinou, temendo cada momento e se sentindo esgotado quando terminou?

Segundo o Livro "Nine Lies about work" de M. Buckingham, o objetivo de um exercício destes é entender o que é que te ilumina. Entender de que você quer correr atras. Entender onde você é mais enérgico, mais criativo, mais motivado e depois estrategicamente voluntariar para isso mais e mais e mais.

O primeiro passo é entender o que você gosta, o que te motiva e que caminho quer seguir para depois moldar-se a estrutura e começar a fazer pequenas ações que te levem neste sentindo.

E você, acha que consegue adotar uma estratégia assim na sua empresa ou já não acha que vale a pena se dar ao trabalho? 


PS: O Livro "Peça as contas como um Milionário" do Millennial-Revolution está em pré-venda. Adiquira por apenas $11 até 9 de Julho

Isenção de responsabilidade: Todo conteúdo publicado neste site baseia-se no direito de expressão garantido nos arts. 5º, IV e 220 da Constituição Federal de 1988. Não somos profissionais de investimentos nem consultores financeiros licenciados. Este blog representa apenas opiniões e decisões pessoais, que podem não ser apropriadas para outros investidores. Por favor, use o bom senso e/ou consulte um profissional de investimento certificado antes de investir seu dinheiro. AA40 não é responsável pelos resultados de suas decisões, nem responsável pelos comentários postados pelos leitores ou pelo conteúdo de quaisquer sites vinculados. Este blog deve ser visualizado apenas para fins educacionais ou de entretenimento. Resultado passado não é garantia de resultado futuro.

20 comentários:

  1. Fazer do que esperam de você é uma das 16 leis do Triunfo ,do livro de Napoleon Hill.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O problema de se fazer apenas o que esperam de você é a estagnação que isto incorre. Só quem se molda aos cargos que objetiva, fazendo coisas de maneiras diferentes é que é notado o suficiente para galgar tais postos mais rapidamente. Abcs

      Excluir
    2. Faltou uma mais ali kkk "fazer mais do que esperam....

      Excluir
    3. ahh hehehe..ai sim ! abcs

      Excluir
  2. Infelizmente, no Brasil, isso só vale a pena se a pessoa for autônoma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Discordo um pouco. Acho que existem muitas empresas em que isto é possível de se aplicar, mas outras tantas que isso não faria diferença. Vai depender muito disso. Abcs

      Excluir
  3. Você tem toda razão AA40, o nome disso é intraempreendedor, é um perfil de pessoas que entram como funcionários e não se contentam em fazer apenas o básico, querem mudar processos, fazer as coisas melhores, enfim, empreender dentro das empresas.
    E por consequência acabam criando meio que na informalidade o cargo que ocupam. Acho isso bom e ruim, é bom pois a pessoa sente uma realização profissional, ruim pois nunca há o devido reconhecimento, não há aumento de salário por fazer coisas que não são da sua competência, muito menos a devida adequação na carteira de trabalho. Para as empresas é ótimo ter gente assim pois eles espremem essa laranja até virar bagaço.
    Mas já vi casos de gerentes que se sentem ameaçados por pessoas nesse perfil e tentam podá-las a todo custo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é anon, verdade. Como disse acima, existem empresas em que isto é valorizado e permitido e outras empresas que isto é só motivo para espremer os seus talentos. Cabe ao funcionário perceber em qual dos casos está e agir de acordo. Abcs

      Excluir
  4. Fala AA40! Post muito bom para pensar. Preciso me encontrar, mas não sei por onde começar, se tem saída. O trampo de escola onde estou é muito lazarento, tudo e todos em cima de você, se não fosse concursado eu sairia desse hospício. Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E Paulo, as vezes é preciso dar um passo para trás para dar dois a frente. Se não tem perspectivas no atual emprego e consegue mudar é uma boa. Ou tentar mudar de dentro mesmo. Difícil mas nada é impossível. Abcs

      Excluir
  5. Ótimo post! Trabalhei por quase 10 anos numa multinacional antes de vir para o Canadá, em 3 posições diferentes, e em todas moldei do meu jeito. Entrei feliz e sai mais feliz ainda. Podem me perguntar por que raios eu sai? A vida é feita de ciclos e meu ciclo lá chegou ao fim. Agora é curtir últimos meses antes do FIRE!
    Abraço!

    www.executivoinvestor.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ta aí um exemplo que isto funciona, obrigado EI.
      Estamos no aguardo de sua FIRE para que nos relate tudo. Já teremos alguns FIREs na comunidade contanto com vc e só vai aumentar. Abcs

      Excluir
  6. sobre fire.. .eu penso que 1 milhão poderia ser suficiente para fire em diversas condições.
    alguém que vai se aposentar com média de 3000.. poderia usa 4% e se aposentar. boa parte de cidades brasileiras com custo de vida relativamente baixo... dá pra vc viver com fire com 1 milhao. e usar a tsr 4% sim por 30 anos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, tudo depende da sua frugalidade, local onde vive e padrão de vida que se sinta confortável. Para muitos 3 mil é mais que suficiente mas para uma grande maioria não. Tudo é relativo. Abcs

      Excluir
    2. Que grande maioria cara... 13 milhões de desempregados, salários aí de 1000 a 1500. A grande maioria se sentiria bem com 3000. Isso sim

      Excluir
    3. Maioria de FIREEs. Se considerarmos a população toda vc tem razão, um emprego qualquer já estaria bom para muitos e muitos. Abcs

      Excluir
  7. " "Quando você vê alguém que está feliz (..) ele a fez" - utopia vivida por uma pequena e abastada elite ou transe forçado de uma classe média achatada.
    claro que tem pobres que são felizes no trabalho, mas eles trabalham por comida ou vivem de instituições religiosas.

    abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estávamos falando mais em trabalho no sentido de profissão na qual se formou e escolheu em trabalhar, não em emprego no qual você faz o que aparece para sobreviver. Abcs

      Excluir
  8. Olá AA40!

    Trabalho é um fardo. Se você tivesse a possibilidade de só fazer o que gosta não se chamaria trabalho, seria passa tempo. O fato é que muita gente tem a capacidade de transformar as rotinas de trabalho em um passa tempo, mas quem não consegue, realmente deveria ser treinado pra transformar as tarefas em algo mais prazeroso. E se isso não for possível, talvez seja melhor mudar as tarefas ou de ambiente...

    Concordei com vários pontos do seu texto. Parabéns! Ficou excelente.

    Forte abraço! Apareça também!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente SP. Obrigado pela audiência. Grande abraço !

      Excluir

Mensagens ofensivas e críticas infundadas não serão toleradas. As mensagens aqui postadas podem não representar a opinião do blog AA40. Os posts aqui mostrados não representam sob hipótese nenhuma recomendações de investimento.